PQN - O Portal da Comunicação
PQN - O Portal da Comunicação PQN - O Portal da Comunicação
PQN - O Portal da Comunicação
PQN - O Portal da Comunicação PQN - O Portal da Comunicação PQN - O Portal da Comunicação
 

Login

 
PQN - O Portal da Comunicação PQN - O Portal da Comunicação PQN - O Portal da Comunicação
PQN - O Portal da Comunicação PQN - O Portal da Comunicação PQN - O Portal da Comunicação
 
Outra Visão
 
PQN - O Portal da Comunicação PQN - O Portal da Comunicação PQN - O Portal da Comunicação
PQN - O Portal da Comunicação PQN - O Portal da Comunicação PQN - O Portal da Comunicação
 

Galeria PQN

Galeria2
 
PQN - O Portal da Comunicação PQN - O Portal da Comunicação PQN - O Portal da Comunicação
PQN - O Portal da Comunicação PQN - O Portal da Comunicação PQN - O Portal da Comunicação
 
 
PQN - O Portal da Comunicação PQN - O Portal da Comunicação PQN - O Portal da Comunicação
 
Converso
 
PQN - O Portal da Comunicação PQN - O Portal da Comunicação PQN - O Portal da Comunicação
 
 
 
 
 
PQN - O Portal da Comunicação PQN - O Portal da Comunicação PQN - O Portal da Comunicação
 
NEGÓCIOS COM CAVALOS MANGALARGA MARCHADOR CRESCERAM CERCA DE 10% NO ÚLTIMO ANO PDF Imprimir E-mail
INTERFACE COMUNICAÇÃO   
04-Jul-2017
INTERFACE COMUNICAÇÃO - 04/07/2017

O mercado de cavalos cresce em um cenário que vai na contramão do desempenho da economia do país. Um estudo, realizado no ano passado, aponta que o segmento movimenta anualmente R$ 16,5 bilhões e gera 610 mil empregos diretos e 2.430 mil empregos indiretos, sendo responsável, assim, por 3 milhões de postos de trabalho.

Um dos cases de sucesso desse setor é a raça Mangalarga Marchador, que cresceu 9,2%  em 2016.  “Esse é um setor que não sofre os efeitos da crise no país. Pelo contrário. Estamos comemorando um ano de muitas conquistas com aumento no plantel de animais, do número de associados e de leilões”, comenta Daniel Borja, presidente Associação Brasileira dos Criadores do Cavalo Mangalarga Marchador (ABCCMM). 



“Para se ter uma ideia da dimensão do negócio, a equinocultura representa seis vezes o que emprega a indústria automobilística no país”, acrescentou. O Brasil possui o terceiro maior rebanho equino do mundo, com 5 milhões de cabeças, perde em quantidade apenas para a China, com 6, 8 milhões de cabeças, e o México, com 6,3 milhões.
 

Criado em todas as regiões do país e no exterior, o Mangalarga Marchador é uma raça utilizada tanto no lazer quanto no trabalho. “A raça é dócil, boa de sela, obedece aos padrões internacionais e pode ser usada para cavalgadas, lida no campo, passeios e competições de marcha. No esporte, esse cavalo é utilizado em enduros equestres, provas de maneabilidade, baliza e tambores. O animal também é muito usado na prática de equoterapia”, destaca Borja.

 
Quanto ao plantel, o Mangalarga também tem crescido. Atualmente, são mais de 600 mil cabeças no país. O Estado de Minas Gerais, onde fica a sede da Associação Brasileira, corresponde a quase metade desse número.

 
Outro dado da força do negócio com cavalos Mangalarga Marchador é o aumento no número de associados. A ABCCMM registra uma média de  145  novos criadores por mês. “Já somos mais de 13.200 associados. Quando temos o registro dos animais, podemos trabalhar em conjunto pelo desenvolvimento da raça e somarmos esforços para incrementar ainda mais o fortalecimento do negócio”, ressalta o presidente Daniel Borja.

 
O número de leilões e de negócios também é bem expressivo. Somente no ano passado, o Mangalarga Marchador esteve presente em 301 leilões, frente a 271 em 2015. Sobre a chancela da ABCCMM, os valores arrecadados com a venda de 6.782 produtos –entre animais, embriões, óvulos e coberturas– chegaram a R$ 121,2 milhões. A estimativa do mercado total, incluindo a venda direta de animais pelos criadores, chega a R$ 272,9 milhões no último ano.
 

Exposição Nacional

O grande encontro de criadores de animais da raça Mangalarga Marchador será na Exposição Nacional. Neste ano, a 36ª edição do evento terá um dia a mais de atração e será realizada, de 18 a 29 de julho, no Parque da Gameleira, em Belo Horizonte. A mostra é a maior exposição de equinos de uma mesma raça da América Latina.

 
A Exposição Nacional é uma vitrine da raça e mostra números expressivos em crescimento. Somente no ano passado, foram mais de 200 mil visitantes frente a 150 mil em 2015. Negócios estimados em leilões e vendas diretas somaram R$ 20 milhões. Em 2015, foram R$ 11 milhões. Neste ano, os organizadores esperam superar a marca de 200 mil visitantes e a de R$ 20 milhões em negócios, O número de animais na Nacional também deve  chegar a  mais de 1.800 com a participação de 17 ou mais Estados.

 
“Estamos aguardando um grande evento, com um público seleto de criadores e apaixonados pela raça, em uma estrutura diferenciada. Vamos aprimorar ainda mais o  maior evento da raça, tornando-o mais dinâmico e atrativo”, comenta Borja. Ele acrescenta que “a revitalização do Parque da Gameleira, concluída recentemente, dará uma cara nova à Nacional, com mais conforto e melhor atendimento aos associados e visitantes”.
 

A ABCCMM
 
Fundada em 16 de julho de 1949, no Parque de Exposições da Gameleira, em Belo Horizonte (MG), a Associação Brasileira dos Criadores do Cavalo Mangalarga Marchador (ABCCMM) é uma entidade civil sem fins lucrativos, credenciada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) para fazer o registro genealógico oficial dos animais da raça.

 
Maristela Bretas
(31) 3211-7509 /  99239-8381

 
< Anterior   Próximo >
 
 
 
 
Presoti
 
PQN - O Portal da Comunicação PQN - O Portal da Comunicação PQN - O Portal da Comunicação
 
© 2017 PQN - O Portal da Comunicação
portalpqn@pqn.com.br Rua da Bahia, 1345 - Sl 909 - Lourdes - Belo Horizonte - MG - Tel.: 31 2127 4651
Design : StudentsDesign.de PQN - O Portal da Comunicação PQN - O Portal da Comunicação
 
PQN - O Portal da Comunicação PQN - O Portal da Comunicação PQN - O Portal da Comunicação PQN - O Portal da Comunicação